domingo, 8 de fevereiro de 2009

Amor da minha vida

Ontem, minha filha fez 19 anos. Palavra de honra que esse negócio de a gente dizer “parece que foi ontem” é verdade! E lá estava ela, alta, feliz, palhaça, cheia de saúde e rodeada de pouca gente, mas gente amiga. Lá onde? No barzinho, um tal de “Fausto&Manuel”, onde a cerveja é honestamente gelada e os tira-gostos são servidos com cara e gosto de coisa fresca e boa.

Como moro em apartamento pequeno, festa, nem pensar. Só a família seriam uns 40, mais os agregados (e como a minha família troca de agregados!). Fora os muitos amigos que seríamos obrigadas a convidar, por educação. Não, em casa não dá mesmo! A coisa do barzinho é uma invenção dos deuses. Apesar da aparente impessoalidade da comemoração, vai quem quer, cada um bebe e come o que quer e todo o mundo faz farra. Nenhum vizinho reclamando, nada de gritaria até muito tarde...um achado mesmo!

Desde que ela cresceu, eu normalmente não vou a essas coisas. Comemoro com ela mais cedo, com um cesta de café da manhã, flores e um almoço juntas. À exceção, é claro dos 15 e dos 18 anos, que pela tradição brasileira são datas mais importantes. Mas ontem eu acabei me animando e indo junto com a turma. E descobri que, ao contrário do que muita gente fala, gente jovem tem generosidade. Ninguém me tratou com intrusa, nem me fez sentir ridícula.

De início, desandei a falar e a fazer brincadeiras sem parar, para disfarçar o medo de ser chamada de velha. Mas como eu já falo muito mesmo, acho que pareceu para todo o mundo que eu estava mais para normal do que para nervosa. Depois de uma hora, entrei no fluxo e relaxei. Afinal, faz uns dois ou três anos que balada, pra mim, é coisa rara, e eu precisava ver gente, olhar o movimento, ‘soltar a franga’. E me senti feliz por ter ido. Minha filha gostou, deu tudo certo, ninguém reparou pra valer nos 20 anos que me separavam do mais velho da mesa.

Na hora de pagar a conta, a máquina de débito portátil deu problema e eu tive que me levantar e pagar no caixa, em outra maquineta. Resultado: hoje, checando o meu extrato bancário, verifiquei que a conta foi cobrada duas vezes.

Enquanto espero a noite cair, para ir reaver o valor pago a mais com a simpática proprietária que me tratou com muita educação ao telefone, penso que mesmo que eu tivesse que pagar dobrado teria valido a pena. Muito mesmo.

Feliz aniversário minha filhote linda! Te amo, te adoro, te quero bem
!

Nenhum comentário:

Postar um comentário