domingo, 12 de abril de 2009

Quero-te

Yara Depieri
Autora Convidada

De ti, guardo mais que um amuleto,
De expectativa, não guardo nenhum direito;
Quero teu beijo, desejo-o ardentemente,
Mas, por saber-te longe, percebo-me descrente.

Estou só, queria ter-te agora,
Sentir-te, beber teu gozo, teu sumo;
Queria-te dentro de mim, dizer-te: me adora!!!
Queria dar-te meu corpo, amor. Assumo!

De paixão envolvo teu hálito,
Da saudade já tenho o hábito!
Quero-te todo, embora sistemático,
Quero-te em cores, não monocromático.

Beber demais - já virou rotina -
Pra não pensar a cada minuto, a cada esquina
- como se as tivesse Brasília -
Que do prazer quero dar-te a alegria.

Me impede, no entanto, o excesso de etílico teor,
De ligar-te e oferecer-te meu desatinado ardor.
Vejo-me a escrever sem sentido, amor,
Enquanto me embriago com mais um licor.

Tesão? Tenho, também, de sobra!
Paixão? Com certeza, me soçobra!
A ausência, te imploro, cobra!
A loucura, não negue, desdobra!!!

Deita em meu corpo, quero ser tua;
Põe-me louca, ensandecida e toda nua;
Engole meu gozo...quero uma vez mais,
Deitar em tua boca meus sucessivos ais...

Não partas, fica, quero tuas mãos ternas
E também teu corpo em minhas cavernas.
Vem, chega perto, me abraça, me aquece,
Vem, me possui, me enlaça, enlouquece...

Nenhum comentário:

Postar um comentário