quarta-feira, 27 de maio de 2009

Quando um homem sabe o que diz

Um dos bons homens que passaram pela minha vida me disse algo que até hoje me volta à memória.

Preocupada com a gordura que sempre me atormenta os melhores encontros, eu hesitava em consumar uma noite de vinhos, meia-luz e conversa inteligente.

Minha auto-crítica sempre foi o anticoncepcional mais potente. Se me desconforto na hora do sexo, se desconfio de um olhar que me critica ou outro que se desvia de mim, empaco, empaco mesmo, como um animal na tempestade.

Eu já me preparava, apesar da desenvoltura forçada pelo vinho, para recuar e inventar uma desculpa capenga do tipo “amanhã eu levanto cedo”, ou “não acho que isso devia acontecer agora, tão depressa” (essa, então, é de matar!).

Primeiro, minha famosa mão no peito, avisando que um dos dois precisava se afastar. Em seguida, uma ida ao banheiro, porque ida ao banheiro sempre corta qualquer tesão. Finalmente, dois dedos pressionando a têmpora, como se a cabeça doesse muito e eu estivesse ali apenas fazendo um esforço para colaborar.

E quando a gargalhada franca compreendeu minhas reservas, eu me assustei tarde demais.

Então, ele disse:

“Se a gente chegou até aqui, é porque a questão do corpo já foi resolvida uma etapa atrás, você não acha?”.

Química... Quem foi mesmo o gênio que descobriu a química?

2 comentários:

  1. vcs, mulheres, são um órgão sexual da cabeça aos pés. é claro que desejam estar perfeitas na hora da melhor intimidade. contudo, se olham com olhos femininos, diferentes dos nossos, masculinos, que veem a mulher apenas como um corpo estranho ao redor de uma vagina. hehehe. ou quase isso.
    não é preciso tanta vergonha, tanta preocupação. na hora da verdade, o que menos incomoda é uma gordurinha ou qualquer detalhe estético imposto pelo mundo da moda.
    homem e mulher, pelados e encaixados, são perfeitos.

    ResponderExcluir