sábado, 27 de junho de 2009

Triplo X


Ilustração: Google Imagens

Se eu ainda tinha alguma dúvida sobre a vocação do Brasil para o preconceito, tive certeza disso este mês, ao tentar comprar meias-calças para o inverno.

Depois de percorrer umas cinco lojas aqui da Capital da República, atrás de meias-calças tamanho EXG, e de me conscientizar de que eu não poderia mais recorrer aos depósitos de meias de São Paulo, onde sempre encontrei uma tal de meia-calça ES (até o ano passado, mas engordei mais uns 4 quilos e elas não cabem mais), eu desisti. Não encontro no Brasil, uma meia-calça que me caiba.

Portanto, mulheres gordas que por acaso estejam lendo isso, por favor, não tentem percorrer esses degraus penosos da escadaria da Penha! Não há luz no fim do túnel. Pelo menos, não do túnel nacional.

Alguns de vocês, magros e médios leitores, devem estar pensando: Quem mandou ser gorda? Por que é que não fecha a boca? É só parar de comer! Por que é que ela não faz logo uma cirurgia?

Bem, em primeiro lugar, que pensamentozinhos infelizes, hein? Você é mesmo desses que acham que os gordos são gordos por que comem demais e ponto final? Nunca se deu ao trabalho de pensar que os gordos comem as próprias emoções − que são muitas? Ah, e quanto à cirurgia, nem pensar. Medo é medo.

Cada um afasta os problemas como sabe e como pode. Tem o time da maconha, o da cocaína, o do álcool. Em seguida vem o time das compras excessivas, das viagens desenfreadas, das pilhas e pilhas de livros de todos os tamanhos. O quê? Você pensou que os compradores de livros eram pessoas normais só porque livro é cultura e cultura é uma coisa boa? Como eu disse, cada um faz o que pode e o que sabe para afastar os problemas. Nós, gordos e gordas, colocamos almofadas protetoras ao nosso redor para evitar que os socos e pontapés da vida nos machuquem muito.

Viciados consomem droga nacional, compradores consomem lojas nacionais, leitores inveterados consomem livrarias nacionais. Gordas não consomem meias-calças nacionais. Porque não encontram o seu tamanho, porque o comércio brasileiro decidiu que mulheres gordas não existem, não são compradoras importantes.

Há 15 dias, pedi pelo correio umas meias-calças lindas, pretas, fumé e cor da pele. Todas XXX. Onde? Na Alemanha, numa loja online chamada Hosieria (santa internet e santo Orkut!). Paguei em euros, no crédito, mas, mesmo assim, compensou. Eles tinham vários tipos de meias-calças pra gente do meu tamanho e até pra gente com tamanho acima do meu.

As meias chegaram há uns dias na agência central dos correios e estão agora na fiscalização da Receita. Não importa. Logo, logo eu estarei de pernas poderosas!

Só que me deparei com outro problema. Esta semana, a copeira do trabalho, que é do meu tamanho, me perguntou onde comprar meias-calças triplo X...

Respondo o quê?

Nenhum comentário:

Postar um comentário