sábado, 11 de julho de 2009

Entre tias e sobrinhas (ou Você conhece o Deus?)


- Tia, você conhece o Deus?
Sacudo os pensamentos que me prendem às preocupações do dia e olho para a pequena Teresa à minha frente, emoldurando com olhos de jabuticaba a pergunta inocente.
- Conheço, querida, claro que conheço.
- É, tia? E como Ele é? - sinto no tom de voz um interesse mais acentuado.
- Ele é bonzinho, amigo...
- Não , tia, não é isso! Como é que Ele é? Como é o cabelo dEle, a cara dEle?
- Isso eu não sei.
- Ué, mas você não conhece o Deus?
Os olhos de jabuticaba, agora menos inocentes que antes, não me abandonam.
- Conheço no meu coração, Tetezinha. Eu acredito em Deus e sei que Ele é muito, muito legal.
- Titia, eu sei que você acredita. A mamãe também. Mas você já viu o Deus?
Por que é que eu sinto que isso não vai parar por aqui?
- Não, nunca – respondo, tentando não mentir.
- Mas você já ouviu a voz do Deus, não ouviu?
- Dentro de mim...
- É, titia? E como é que Ele fala?
- Como, como?
- Se a voz dEle é grossa, se Ele fala zangado, se Ele é debochado...
- O que é isso, Teresa? Deus, debochado? Onde já se viu!
- Então, por que é que o papai vive dizendo que Deus debocha da gente, titia?
- É...é...um jeito de falar, minha linda!
- Ah...
Não convenci. Vejo no rosto de Teresa que ao invés de ajudar, coloquei mais dúvidas ainda na sua cabecinha cacheada.
- E aí, tia?
- E aí, o quê? – tento fugir do inevitável.
- Como é a voz dEle lá dentro de você? – ela fala, com um risadinha.
- Você está rindo de quê, Teresa? – pergunto, séria.
- Nada não, titia. É que deve fazer cócegas...
- Cócegas?!
- A voz dEle, dentro de você...
Melhor ignorar por completo o argumento e tentar dar uma guinada neste papo que está me deixando sem rumo.
- Titia, o Deus não gosta de mim.
- O que é isso, Tetezinha? Gosta sim!
- Não gosta não, titia. Tudo o que eu peço pra Ele, Ele não faz.
- Mas Teresa, gostar não tem nada a ver com isso. Você está é muito mimada. Achando que Deus só existe se fizer tudo o que você quer, hein?
Não consigo uma resposta e vejo no rostinho pensativo que a coisa ainda vai piorar.
- Tia, eu pedi para Ele para não mandar o meu irmãozinho. E Ele mandou...
Disfarço o riso e tento dar uma resposta, mas antes que eu diga alguma coisa, ela me surpreende.
- Eu sei que Ele estava certo, porque agora eu até gosto do meu irmãozinho.
Aliviada, tento, de novo, retomar a conversar, mas ela continua:
- Mas precisava o Deus contar pra mamãe que eu não escovei os dentes antes de dormir?
- Ele contou, Tetê?
- Contou, titia! A mamãe me disse que o Deus mandou ela ir ver que a minha escova de dentes estava seca. Levei uma bronca deeeste tamanho!
- Vai ver que Deus não quer que os seus dentinhos apodreçam de sujeira, não é Tetê?
- Acho que não, titia. Eu acho mesmo é que Ele não gosta de mim...
- Mas o que é isso, Teresa?
- Meu irmãozinho mama na mamãe todas as noites, dorme no colo dela e sempre esquece de escovar os dentes. Por que é que dele o Deus não reclama?

Nenhum comentário:

Postar um comentário