sábado, 31 de outubro de 2009

Assim

Da primeira vez,
assim como quem faz visita,
bateu à porta, entrou de leve.
Da primeira vez,
assim como quem é feliz,
sorriu tranquilo, me fez amor.
Da primeira vez,
assim como quem não se importa,
feriu vontades, mentiu belezas.
Da primeira vez,
assim como quem é cruel,
rompeu momentos, forjou pretextos.
E se foi de mim...
Agora, que nada mais é,
retoma meu caminho,
confunde meus sentidos.
Assim,
como quem faz sofrer
pela segunda vez.

Um comentário: