quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Insanos preconceitos

Vejo no noticiário da meia-noite que uma universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, se recusa a entregar diplomas a alunos gordos.
Parece incrível, mas é verdade. Uma verdade feia, suja e triste.
Quando foi mesmo que inteligência, beleza e caráter começaram a ser medidos pela cor da pele, pela conta bancária, pela opção sexual ou pelo peso de um ser humano? Ah, acho que faz tempo! Mas nunca, antes, se ousou tanto. Nunca a loucura foi tamanha. E quanto mais a gente tenta entender ou explicar, mais se desespera na incredulidade.
Como é que alguém estuda, compra livros, se esforça, tira notas boas, enfrenta noites de sono e não tem direito a um diploma porque é gordo?! Gordo é contagioso? Gordo é sub-raça? Gordo é bicho? Gordo é perigoso?
Estados Unidos. País mais importante do mundo. Terra de todas as gentes. Onde os maiores cérebros são judeus, alemães, franceses, argentinos, japoneses, brasileiros. Onde os melhores taxistas são indianos e os melhores acompanhantes para idosos são filipinos. Terra de notícias com esta, de hoje à noite. Terra de gente hipócrita. De gente que fabrica e lança para o mundo as comidas e as bebidas mais calóricas, como os hambúrgueres e as Coca-Colas. E depois pune os seus próprios filhos com exigências tão absurdas!
Só que lá, na terra do Tio Sam, os tribunais existem para dizer não às aberrações. Lá, cada discriminado tem voz, lei, julgamento e direito a final feliz.
E aqui? Aqui, neste país de aparências, medos e preconceitos, quem nos defenderá de mentes tão pequenas? Quem nos garantirá que sejamos respeitados?
Brasil, reaja!

Um comentário:

  1. Salve !
    Navegando pela grande rede sem rumo com a intenção de divulgar o meu blog cheguei até você e gostei do que vi. No momento estou impedida de fazer leituras muito extensas, pois a claridade da telinha está prejudicando um pouco a minha visão, devo tomar um pouco mais de cuidado, mas em breve resolverei esse problema. Bem, já que estou aqui aproveito para convidar a conhecer
    FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em
    http://www.silnunesprof.blogspot.com
    Eu como professora e pesquisadora acredito num mundo melhor através do exercício da leitura, da reflexão e enquanto eu existir, vou lutar para que os meus ideiais não se percam. Pois o maior bem que podemos deixar para os nossos filhos é o afeto e uma boa educação. Isso faz com que ela acredite na própria capacidade, seja feliz e tenha um preparo melhor para lidar com as dificuldades da vida. Com amor, toda criança será confiante e segura como um rei, não se violentará para agradar os outros e será afinada com o próprio eixo. E se transformará num adulto bem resolvido, porque a lembrança da infância terá deixado nela a dimensão da importância que ela tem.
    VAMOS TODOS JUNTOS PELA EDUCAÇÃO, NA LUTA POR UM MUNDO MELHOR !
    Se achar a minha proposta coerente, siga-me nessa luta por um mundo melhor. Peço que ao responder deixar sempre o link do blog, pois vez por outra o comentário entra com o link desabilitado ou como anônimo. Por causa disso fico sem ter como responder as pessoas.Os meus comentários também entram via e-mail, pois nem sempre a minha conexão me permite abrir as páginas: moro dentro de um pedacinho da Mata Atlântica, creio que mais alto que as antenas, com isso a minha dificuldade de sinal do 3G. Espero queentenda quando não puder visitá-lo.
    Daqui onde estou, os únicos sons que escuto aqui é o dos pássaros, grilos, micos., caipora, saci pererê, a pisadeira, matintapereira ... e outras personagens que vivem pela mata.
    Por hoje fico por aqui, já escrevi demais. Espero nos tornarmos bons amigos.
    Que a PAZ e o BEM te acompanhem sempre.
    Saudações Florestais !
    Silvana Nunes.'.

    ResponderExcluir