quarta-feira, 9 de novembro de 2011

As emoções da internet

                                                                                                                                       Ilustração: Google Imagens 


Em tempos de mídias sociais, quem tem mouse vai a Roma! Rádio, TV, jornal, satélite... Que nada! O negócio é internet, meus amigos! A internet veio, viu e venceu! A mocinha caiu na vida e caiu na boca do povo. Na sua, na minha, na de todo o mundo. E foram aparecendo outras coisas pra fazer... Orkut, Twitter e.... Facebook!
Em época de internet, o pessoal todo virou “usuário”. Tudo bem. Na minha época usuário cheirava, fumava ou bebia... Só não tinha senha intransferível...
Eu sou uma usuária. Uma usuária com-pul-si-va. De internet. Estava eu uma noite dessas sentada na frente do computador, Facebook na veia, um monte de posts entrando, dos mais legais aos mais chatos, cuidando da colheita e das vaquinhas daquele jogo que todo o mundo jura que não joga... Mas joga!...Tudo isso, é claro, enquanto não vinha a inspiração para escrever este texto para um sarau do qual eu iria participar fazendo uma leitura.
De vez em quando, uma Cutucada daqui, outra de lá... O Facebook é um grande ticutuconãocutuco ticutuconãocutuco. No começo, eu evitava a tal da Cutucada. É uma coisa boba mesmo, concordo! Mas, aí, tem hora que o dedo coça e ...Pimba! Eu cutuco de volta! Meu Deeeus! O que é que a fulana ou o sicrano vão pensar de mim agora?! Que eu sou uma mulher sem preceito, uma criatura sem decoro, uma cutucadeira oficial! Mas, que nada! Dentro da regra do menos é mais, uma cutucadazinha é sempre bem-vinda! E, afinal, é uma emoção saber que eu sou uma pessoa cutucável!
Mas o complicado mesmo, a atração fatal é do meu dedo pelo botão “Curtir”. Ai, papai, pra que foi que fizeram aquele tal de “Curtir” tão lindinho?! Resposta? Pra ferrar a gente!!!
Como eu disse, estava eu lá umas noites atrás, só no ler, curtir, comentar. De cada duas mensagens que entravam eu ia lá e ... Pimba! Apertava o fofinho do “Curtir”. Uma coisa loooouca! E lá ia eu, frenética, Curtir,Curtir, Curtir...
Ai meu Deus do céu! Mas o quéquéisso?! Acabei de “Curtir” que o cachorrinho da menina morreu! Jesus, Maria e José, onde é que aperta este trem pra “descurtir”? Ufa! Achei!
No Facebook você tem que ser rápido pra ninguém perceber o furo, entende? Pra ninguém ver — me desculpem — a merda que você fez!
Bom, mas achando que tinha ficado livre do fora, meus olhos se fecharam em zoom sobre um post láááá em cima na página, uma mensagem que eu tinha lido e respondido uma meia hora antes.
Suor frio, dor de barriga, três vezes “Ai, não! Ai, não! Ai, não”. E eu só não dizer aqui que foi uma des-gra-ça porque minha a madrinha me dava uma tapinha na boca cada vez que eu falava essa palavra. “Não fala desgraça, menina, que atrai desgraça!”
Bem, no tal do post, não satisfeita de ter apertado o “Curtir”, eu ainda escrevi “Bom demais!!!” — com essas três exclamações.
Era o post de uma amiga, toda chorosa, contando que o namorado tinha terminado com ela na véspera, porque tinha cismado que ela estava chifrando ele...Oh, God!
Astigmatismo, gente! Eu tenho, de verdade! Errei de linha. Juro! Eu queria mesmo era escrever o Comentário num post onde uma mamãe-gata abraçava um filhotinho que estava tendo pesadelo.
Pesadelo foi o meu!
Não perdi a amiga (eu acho), mas o namorado e ela reataram dois dias depois e ele já avisou que não quer me ver pintada nem pelo Facebook! Ele jura que foi de propósito.
Foi quando naquela noite de equívocos, em meio ao caos, me veio um insight (ou, pra quem preferir dizer em bom nacionalismo: me veio uma “sacação”). 
Eu me dei conta de que internet é a droga do momento! A gente não cheira, não fuma e não bebe... Mas fica ligadão!
Deve ser por isso que todo o mundo é "usuário"...

2 comentários: