domingo, 9 de dezembro de 2012

Nem todo napalm será perdoado — tributo à nudez não consentida de Kim Phúc


Foto: Nick Ut

existe uma carne a ser coberta
e por ela cessem os melhores coitos
os maiores gozos
por ela dobrem os sinos
ensurdecendo as turbinas
que borrifam do céu o esperma de napalm
que se cubra o nu imaculado
da fêmea pequena, sem pecado
e abram-se braços, olhos, ouvidos
ao estupro de todas as fés
que se cubra o corpo que queima
urra, verte sangue submisso
e se desnuda em dor ao fogo ácido
da Grande Meretriz do Norte
a filha insidiosa de Sam
existe uma carne impúbere
que corre rua abaixo
em medo descalço
implorando ao dono
do mesmo céu que chove morte
pelo milagre do “basta!"
mas o Grande Onisciente
não ouve, não vê
descansa
pois que sétimo é o dia
e por isso
tão somente por isso
nem toda nudez será castigada

4 comentários:

  1. Parabéns por esse belíssimo texto. Já o mandou para Aresemares?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Angela, querida, combinei com o Armando que em janeiro, quando estarei um pouco mais tranquila, enviarei ao Aresemares alguns textos! Obrigada por tudo, sempre!

      Excluir
  2. Felices fiestas y año nuevo en compañía de tu seres queridos.
    Un cordial saludo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ¡Manuel, muchas gracias! ¡Deseo lo mismo para ti y para tu seres queridos!

      Excluir